Água: consumo consciente e formas de redução do consumo.

3 de outubro de 2019

Notícias veiculadas pela imprensa demonstram que o volume de chuva para o período é muito menor, comparando a estiagem de 2015, levando a Agência de Recursos Hídricos a decretar racionamento, rodízio de abastecimento e outras medidas visando redução do consumo de água, especialmente nos municípios da Região Noroeste do Estado.

Os gastos com água e esgoto representam, em média, 10% (dez por cento) das despesas do condomínio, repassadas aos condôminos na forma da Convenção ou rateio individual conforme o consumo medido (para as edificações novas com hidrômetros individualizados por unidade). Ou seja, é uma despesa considerável.

A decisão de instalação de hidrômetros individuais por unidades em edificações que não possuem medição individualizada requer análise do custo x benefício, especialmente se o volume medido pela CESAN for muito superior ao faturamento mínimo (número de unidades multiplicado por 10m³). A medição individual quando implantada reduz custo, mesmo assim, o custo do serviço e o retorno merece estudo de viabilidade financeira.

Estamos vivendo períodos com maior preocupação com a escassez de água no Brasil. Estados onde não se falava em seca prolongada passaram a conviver com esta situação e buscarem saídas e alternativas para garantia do abastecimento. Nem é preciso lembrar que a água é um recurso extremamente importante e indispensável para nossa sobrevivência.

Cabe aos condomínios e empresas administradoras de condomínios, através de informativos, educar ou conscientizar os condôminos e moradores para o uso racional da água, evitando desperdícios e perda de dinheiro.

As dicas abaixo constam do Manual de Orientação para o Uso Racional da Água foi elaborado pela Coordenação do Programa Melhoria do Gasto Público, do Governo de São Paulo, vejamos:

Adote as seguintes práticas e hábitos: a) Racionalize o consumo da água. b) Diminua o uso de substâncias poluentes e potencialmente tóxicas. c) Recicle e adeque a destinação dos resíduos gerados nas atividades de limpeza. d) Utilize produtos químicos seguindo as orientações e especificações dos fabricantes. e) Fique atento aos desperdícios nos processos de limpeza. f) Evite o uso desnecessário da água. g) Não deixe torneiras abertas ou pingando. H) Dê preferência a produtos químicos que causem menos agressões ambientais e biodegradáveis.

Ações para a redução do desperdício de água nos banheiros e vestiários: a) Pré-estabelecer dias para a limpeza e manutenção de equipamentos hidrossanitários. b) Não esqueça torneiras abertas e as mantenha fechadas enquanto escova os dentes. c) Não utilize bacia sanitária como lixeira. d) Mantenha válvulas reguladas. e) Aperte a descarga apenas o tempo necessário. f) Limpe portas e vidraças com pano úmido e desinfetantes próprios, evitando jogar água em grandes quantidades. g) Limpe torneiras e peças cromadas com esponja macia e sabão neutro, evitando produtos abrasivos e esponjas de aço que riscam os metais.

Dicas para usar em sua casa: a) Mantenha torneiras fechadas para escovar os dentes e para fazer a barba. b) Tome banhos rápidos, mantendo o registro fechado ao se ensaboar, procurando não ultrapassar 5 minutos. c) Dê preferência à limpeza com panos úmidos e desinfetantes, lavando com água somente quando necessário e sempre com bom senso. d) Ao lavar roupas no tanque, mantenha a torneira fechada enquanto ensaboa e esfrega as peças. e) Dê preferências a máquinas com abertura frontal que economizam 50% de água em relação aos equipamentos de abertura convencional. Como eles possuem ciclos mais rápidos, também economizam energia elétrica. f) Utilize a máquina somente em sua capacidade máxima, evitando ciclos desnecessários (para isso junte roupas em número suficiente para dar início a um ciclo de lavagem). g) Observe se os níveis de água no tambor estão corretos. h) Reutilize a água para a limpeza de pisos, calçadas e quintais. I) Utilize apenas as quantidades adequadas de sabão e produtos químicos, dando preferência aos biodegradáveis.

Cozinhas: a) Feche bem as torneiras, evitando gotejamento de água. b) Mantenha as torneiras fechadas ao ensaboar a louça. c) Sempre jogue restos de alimentos no lixo, antes da lavagem de louças. d) Não jogue gordura ou resíduos sólidos em ralos de pias. e) Só inicie o ciclo de lavagem de máquinas de lavar louças quando estiver na capacidade máxima. f) Ao identificar vazamentos, procure avisar às áreas responsáveis para a solução do problema, imediatamente.

O SIPCES recomenda, ainda, a medição diária do consumo medido no hidrômetro da CESAN, afinal, para controlar é preciso medir. Assim, conhecemos em tempo real o consumo diário da edificação e unidades, de forma que qualquer vazamento ou desperdício poderá ser verificado em menor tempo e providências serão tomadas, evitando aumento no consumo de água e da conta.

A participação de todos é primordial, cabe aos condomínios orientarem seus condôminos e estes, os moradores e prestadores de serviços que trabalham em suas residências.

Garantir água depende de NÓS.

Facebook Comments
Voltar

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: