Convivência e harmonia em condomínio.

23 de setembro de 2019

Não há dúvidas: conviver em condomínio exige a prática diária e persistente da prática do bom senso, visando a harmonia do bem viver, fundamental em qualquer família, especialmente na família condominial, composta de várias familiais com pensamentos e convicções diversas.

Neste final de semana a internet veiculou o desabafo de uma condômina ou moradora contra a penalidade aplicada pela gestão condominial em relação ao choro dos seus filhos gêmeos.

Não temos dúvidas que o limite do conviver está numa linha tênue, pessoas despreparadas para conviver em comunidade e sem paciência para ruídos e barulhos do dia a dia, precisam rever seus conceitos, o que faz e o que lhe afeta.

A violação das regras de boa vizinhança precisa afetar os três ‘S’, qual, sejam: sossego, segurança e salubridade dos demais condôminos, e NÃO apenas de um morador, que se insurge contra todo e qualquer incômodo.

Neste sentido, a administração condominial precisa rever conceitos. Nem tudo que afeta apenas um condômino implica na aplicação das normas internas. Estas devem ser impostas quando a violação perturbar a comunidade ou regras claras de proteção, zelo ou segurança destes.

Sem adentrar na polêmica propagada via redes sociais, penalizar um condômino pelo choro dos filhos gêmeos menores, a princípio, ultrapassa o bom senso, demonstra ausência de cautela na aplicação das regras internas aos condôminos e moradores quando atos destes perturbarem o sossego dos demais.

Precisamos refletir. Conviver é aceitar as diferenças, o contrário é impor a vontade de uma maioria sobre a minoria, nem sempre convergente com os princípios mais basilares que regem a convivência humana.

O ser humano cada vez mais impaciente e intolerante cria ambiente que afasta o convívio. Não cabe ao síndico entrar nesta seara. Seu papel é conciliar, logo, deve procurar não ser ditador, mas, um líder, que agrega, soma e com apoio de todos, busca a melhor solução de conflitos para solucionar os atritos entre os condôminos e o condomínio.

Participe do curso de Gestão de Conflitos  ministrado pelo SIPCES e reveja seus conceitos. Conflitos são oportunidades de dialogar e encontrar saídas para o impasse e não impor regras e posições ultrapassadas.

MUDAR É PRECISO. RESPEITAR AS DIFERENÇAS é estar antenado com este momento, de quebras de paradigmas. Mudança de comportamento social exige adaptação, inclusive das regras internas e dos seus aplicadores.

A verdade nunca está somente de um lado. Pense e reflita sobre isto: as regras internas estão sendo confrontadas diante de uma nova realidade de pensar, interpretar e aplicar.

Facebook Comments
Voltar

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: