Ataque e morte em condomínio

27 de abril de 2018

Sob a mira de uma arma e sofrendo ameaças de morte de dois bandidos encapuzados. Foi dessa forma que uma agente da Polícia Civil e seu marido, um engenheiro, foram acordados, na madrugada de ontem, dentro da casa onde moram, em um condomínio de luxo, na Serra.

Os criminosos invadiram o local para roubar e um deles foi morto com sete tiros disparados pela policial, de 33 anos. O engenheiro, de 43 anos, foi baleado por um dos bandidos.

CONTROLE RIGOROSO PARA EVITAR AÇÃO DE CRIMINOSOS

Mesmo diante da tentativa de assalto a uma das residência do Aphaville Jacuhy, na Serra, o condomínio garantiu que o controle é rigoroso para evitar a ação de criminosos.

Por meio de nota, destacou que o investimento em segurança é uma das principais ações da Associação Alphaville Jacuhy, que nos últimos anos não registrou nenhum episódio envolvendo os moradores e demais associados.

“A segurança do condomínio é composta por sistema de cerca elétrica, alarme perimetral e central de videomonitoramento com funcionamento 24 horas, além de vigilância patrimonial com sistema de rona motorizada na área interna dos quatro residenciais”, disse o condomínio,em nota.

O condomínio também lamentou o fato em uma das residências.

“Esclarecemos que os criminosos tiveram acesso ao interior da casa por uma área de ampla vegetação na área externa do residencial, na qual fizeram o rompimento das barreiras físicas existente como contenção de segurança. Imediatamente após a ocorrência, a nossa equipe de segurança deu o apoio necessário à família e tomou as medidas cabíveis, acionando os órgãos de segurança pública”, informou.

INVESTIMENTOS

O vice-presidente do Sindicato Patronal de Condomínios e empresas Administradoras de Condomínios do Estado, Gedaias Freire da Costa, afirmou que, de uma forma geral, a questão da segurança é fundamental e tem sido grande a preocupação dos condomínios.

“Eles estão investindo cada vez mais nessa questão, com instalação de câmeras, instalação de sistema de alarmes, de biometria, de leitura de placas de veículos para acesso, além de segurança patrimonial”, disse.

Segundo ele, as regras para entradas de moradores, visitantes e prestadores de serviços devem ser rigorosas, mas o mais importante é que sejam seguidas pelos próprios condôminos. “O fato é que, mesmo com investimentos, não dá para garantir 100% de segurança, pois há criminosos que estudam para tentar burlar os sistemas. Mas é certo que quanto mais se investe em tecnologia, capacitação e conscientização nos condomínios, os riscos são reduzidos.”

Entre as falhas mais comuns nos condomínios está a falta de atenção para abertura e fechamento de portões, apontou Gedaias.

Reportagem jornal A Tribuna

Facebook Comments
Voltar

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: