Policiais cercam condomínio e prendem traficantes e assassinos

7 de julho de 2017

Reportagem jornal A Tribuna
Foto – Fábio Nunes, jornal A Tribuna

Em uma ação planejada com riqueza de detalhes, com cerco terrestre e aéreo, 395 policiais civis e militares entraram na manhã de ontem no condomínio Ourimar I e II, que fica no bairro de mesmo nome, na região de Manguinhos, na Serra, e prenderam traficantes e assassinos.

Esses criminosos integravam quadrilha responsável por aterrorizar e até expulsar moradores do condomínios, que é do programa do governo federal Minha Casa, Minha Vida e tem 608 apartamentos. No local, residem cerca de 2,4 mil pessoas.

De posse de mandados de prisão e de busca e apreensão itinerante (permitindo a entrada em todos os apartamentos), os policiais chegaram por volta das 6 horas, e se posicionaram de forma estratégica, fechando cada um dos acessos das 38 torres do condomínio.

Durante a operação, policiais entraram em mais de 300 apartamentos. Na equipe, policiais do serviço reservado, que usavam capuz.

Os alvos iniciais dos agentes que participaram da operação, batizada de Ourimar, eram cinco criminosos apontados como autores de, pelo menos, quatro assassinatos na região. Dos procurados, três deles foram localizados e presos, incluindo um adolescente de 17 anos.

O titular da Delegacia de Crimes Contra a Vida da Serra, delegado Romualdo Gianordoli Neto, explicou que o condomínio começou a ser ocupado pelo tráfico este ano e as investigações começaram em maio, após assassinatos na região.

De lá pra cá, foram recebidas mais de 50 denúncias de moradores, que até ontem continuavam a chegar. Denúncias foram feitas, inclusive, ao secretário de Estado da Segurança Pública, André Garcia.

O superintendente de Polícia Especializada (SPE), delegado José Darcy Arruda, descreveu o terror vivido por moradores. “Havia uma prática de terror, de medo, porque existia um código por parte dos marginais que ali estavam. Eles que estabeleciam a ordem e, em alguns casos, julgavam, sentenciavam e executavam as penas.”

Sindicato apoia operação

“A polícia tem que agir em locais de crimes, deve fazer operações para combater o tráfico de drogas e outras condutas para dar garantia aos cidadãos de bem”.

A afirmação é do vice-presidente do Sindicato Patronal de Condomínios do Estado do Espírito Santo, Gedaias Freire da Costa.

“Temos informações, inclusive já divulgadas pela imprensa, que há problemas em moradias sociais (populares) também em outros bairros. A polícia deve atuar.”

Gedaias também salientou que é importante que em caso de anormalidades as pessoas façam denúncias, que podem ser anônimas para evitar exposição.

Em contrapartida, ele observou que os condomínios têm investido em equipamentos de segurança.

Ele destacou que com a crise econômica, porteiros têm sido demitidos e, no lugar, os condomínios têm investido em tecnologia, como câmeras de videomonitoramento e cerca elétrica.

Paralelo a isso, o vice-presidente do sindicato observou que é importante educar os condôminos para que sigam as normas de segurança.

“Se ocorrer qualquer fato que fuja à normalidade, isso deve ser comunicado imediatamente ao síndico e até mesmo a polícia, se necessário. Volto a dizer: a denuncia pode ser anônima”, recomendou.

Facebook Comments
Voltar

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: