Saiba como cobrir a garagem no condomínio

15 de junho de 2017

Reportagem jornal A Gazeta

Garagem descoberta é um problema recorrente em condomínios antigos. Além de prejudicar a pintura do veículo, desvaloriza o patrimônio. A adaptação de uma cobertura é simples, mas é necessário aprovação em assembleia e até da prefeitura municipal.

Cyro Bach Monteiro, presidente do Sindicato Patronal de Condomínios (Sipces) explica que há duas soluções: permitir que cada condômino cubra a sua vaga ou fazer a alteração em todas as garagens ao mesmo tempo. Em ambos os casos, é necessário aprovação dos proprietários e da prefeitura.

“O primeiro passo é verificar a viabilidade do projeto com a prefeitura, já que, em algumas situações, a cobertura da garagem acaba com as áreas permeáveis do terreno. Depois, o assunto vai ser discutido em assembleia e, em geral, é necessário que dois terços dos proprietários seja favorável à proposta. Então, é hora de pedir autorização à prefeitura para realizar o projeto”, informa.

Na assembleia também será definido se a gestão condominial será responsável pela obra ou se cada unidade fará a sua. “O ideal é que tudo seja feito ao mesmo tempo, para evitar a quebra de padrão e desarmonia na fachada. Mas é comum que alguns aleguem que não têm condições de pagar pela obra ou não têm interesse na alteração. A saída é permitir que os donos dos apartamentos decidam por si”, alerta Cyro.

Em alguns prédios, apenas uma parte das vagas é descoberta. “É natural que quem tem a cobertura não queira pagar pela alteração. Em assembleia, pode-se escolher entre três opções: dividir o custo entre todos, apenas pelos interessados ou deixar que cada um arque com o seu. A vantagem de fazer em grupo é que pode sair mais barato”, afirma Caroline Rosestolato, diretora da Real Administradora.

Edificar uma laje para cobrir estacionamento tem possibilidade de acabar com a área permeável do residencial. Segundo Caroline, as melhores soluções são as coberturas de alumínio ou de policarbonato, utilizadas em estacionamentos de supermercados. “Estes materiais, além de ter fixação simples e rápida, são bonitos e não estragam a harmonia do prédio. Quando cada morador é responsável pela alteração da sua vaga, é interessante que o condomínio defina o material, o modelo e até a empresa que deve ser contratada”, orienta.

Facebook Comments
Voltar

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: