Moradores vigiados por 70 mil câmeras

19 de Março de 2016

Reportagem de Waldir Moura,  A Tribuna – 19 de março – Página 20 / A Tribuna – 19 de março – Página 21

Em tempos de altos índices de roubo e violência nas grandes cidades, os moradores e comerciantes investem como podem na segurança. Um dos maiores aliados no combate aos crimes são as câmeras de video monitoramento.

Segundo levantamento feito pela reportagem de A Tribuna, somente na Grande Vitória, mais de 70 mil câmeras vigiam moradores e auxiliam na proteção em locais públicos e privados.

Representantes do comércio, de condomínios, de empresas de segurança eletrônica, prefeituras e do governo do Estado apontam o número de câmeras que vigiam prédios, lojas e ruas na Grande Vitória.

O diretor da Associação Brasileira das Empresas de Sistemas Eletrônicos de Segurança (Abese) e presidente do Sindicato das Empresas de Segurança Eletrônica no Espírito Santo (Sindesp), Rony Carneiro Rodor, afirmou que 60% dos condomínios na Grande Vitória já possuem câmeras de vídeo-monitoramento.

“Há uma demanda crescente, proporcionalmente à questão da sensação de segurança. A pessoa quer ter a tranquilidade de que os entes queridos estão seguros e, hoje, você consegue ter o monitoramento das câmeras em tempo real pelo celular ou computador”, disse.

E completou: “Hoje, o ser humano sente a necessidade de estar conectado com WhatsApp, redes sociais, isso é uma rede de conectividade. Essa necessidade de estar conectado também existe com a segurança e bem-estar das coisas que o cidadão mais preza na vida, como filhos, esposa e família”.

Segundo ele, o cidadão não usa as câmeras só pelos problemas de segurança pública, mas se tornou muito comum, o uso de câmeras para fiscalizar e monitorar situações rotineiras, como o bem-estar dos filhos e de parentes mais idosos.

“Se você tem uma pessoa dentro da sua casa que precisa de cuidados especiais, você coloca câmeras para fiscalizar, ver se a pessoa é bem cuidada,” afirmou.

Para o especialista, um monitoramento eficaz precisa de um estudo do ambiente para verificar o equipamento que melhor se adapta ao local. Entre os sistemas mais modernos, estão as câmeras com vídeos em alta definição e sensores de sensibilidade.

CERCO NOS CONDOMÍNIOS

Nos condomínios as câmeras de segurança se tornaram importantes aliados não só na luta contra o crime, como também na redução de custos, segundo Gedaias Freire da Costa, diretor jurídico do Sindicato Patronal dos Condomínios.

“Hoje, os condomínios investem nas câmeras de videomonitoramento também pensando na redução de custos com funcionários. Quando o porteiro noturno dá lugar a um sistema eletrônico, conseguimos uma redução de 30 a 40% da despesa total do condomínio”, defendeu Gedaias.

Mas ele contrapõe, lembrando que antes de substituir o porteiro por um sistema eletrônico é necessário que os condôminos avaliem itens como a faixa etária dos moradores e o tamanho do condomínio.

“Funciona bem em condomínios que possuem de seis a 36 unidades e com moradores com faixa etária mais avançada, porque depois das 21 horas, a circulação de pessoas é pequena”, afirmou.

Na Grande Vitória, atualmente existem quatro mil condomínios e 60% possuem câmeras. São pelo menos 2.400 condomínios com câmeras de videomonitoramento.

 

Facebook Comments
Voltar

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: