Caixa d’água – Limpeza é obrigatória em condomínios

2 de setembro de 2015

Por mais limpa que a água que chega ao seu condomínio possa parecer, sempre há a formação de depósitos de substâncias e impurezas que ficam grudadas à parede e no fundo da caixa d’água.

Esse é um dos motivos que faz com que a Organização Mundial de Saúde (OMS) recomende a limpeza do equipamento de forma constante e periódica. O excesso de impurezas pode tornar o consumo dessa água impróprio para os padrões aceitáveis e colocar em risco a saúde de quem depende dessa água. Por isso cabe ao condomínio a responsabilidade de cuidar da manutenção, limpeza, higienização e desinfecção da caixa d’água e dos reservatórios existentes e que abastecem as unidades.

O SIPCES recomenda que esse trabalho seja realizado por uma empresa especializada e registrada, com biólogo responsável e com o devido registro no Conselho profissional, comprovante de capacitação técnica e de treinamento de seus funcionários.

Esses cuidados são importantes porque uma contaminação pode acontecer mesmo depois da limpeza. Isso mesmo. Se uma empresa ou profissional não habilitado realizar o trabalho sem os equipamentos e cuidados adequados, a água do local poderá ser contaminada após a “limpeza”. O que era um problema pode virar um problema muito maior, e perigoso.

Verifique quando o seu condomínio realizou a última análise físico-químicas e microbiológicas das águas, e passe a realizar esse procedimento com mais frequência. Outra dica é exigir um relatório detalhado sobre o trabalho realizado e um parecer das condições físicas do equipamento, analisando possíveis problemas como infiltrações.

Como no dia da limpeza a caixa ou reservatório deverão ser esvaziados, comunique a todos os condôminos com antecedência sobre o trabalho que será realizado, para que todos possam se programar e não serem pegos de surpresa pela falta d’água.

De acordo com a Companhia Espírito Santense de Saneamento (Cesan), para manter a qualidade da água, é necessário fazer a limpeza periódica da caixa d’água a cada seis meses.

Fique de Olho:

* Confira a situação estrutural e externa do reservatório;
* Escove as paredes internas, a tampa e remova o lodo, evitando a entrada de sujeira nas tubulações de saída;
* Eliminar toda a sujeira, inclusive manchas (desde que possível), enxaguar e esvaziar novamente;
* Fechar adequadamente o reservatório, se possível com lacre e cadeado, impedindo a entrada de qualquer elemento estranho;
* Não deixe de anotar a data da limpeza.

Uso correto da água – Não esqueça de economizar

O Brasil ainda não conseguiu se livrar totalmente do risco de um racionamento de água nos próximos meses, principalmente no verão, que se aproxima. O volume de chuva em 2015 continua menor do que nos últimos anos e nenhuma ação foi realizada por parte do poder público em tão pouco tempo que fosse capaz de resolver ou até mesmo minimizar a situação.

Frente ao quadro ainda preocupante que se desenha, o SIPCES mais uma vez reforça as orientações de economia de água nos condomínios, pedindo que todos continuem vigilantes quanto ao desperdício de água nas áreas comuns dos condomínios, e também dentro das unidades residenciais e comerciais.

Confira algumas ideias que podem ser colocadas logo em prática.

a) Identifique possíveis vazamentos

A melhor forma de combater o desperdício de água é a realização periódica de uma vistoria em válvulas e torneiras do condomínio e das unidades. Com a vistoria, realizada por um técnico especializado, pode-se identificar possíveis vazamentos e, assim, combater o desperdício.

b) Individualização dos hidrômetros

A partir do momento em cada condômino paga efetivamente o que gasta, aquele morador ou inquilino despreocupado com a conta de água vai pensar duas vezes antes de desperdiçar.

c) Reaproveitamento de água da chuva

Esse tem sido o mais falado nos últimos meses. A ideia é ótima e muitos condomínios tem aproveitado essa água para limpeza das áreas comuns e regar os jardins.

d) Troca de vasos sanitários

Vasos sanitários mais modernos, com caixa acoplada, diminuem o volume de água despejado de 12 ou 24 litros para 6 litros por descarga. Pense nisso.

LEIA A Versão PDF InfoSIPCES Julho – Agosto 2015

Facebook Comments
Voltar

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: