GÁS. Os cuidados para não cair em uma armadilha.

22 de junho de 2015

No mês de maio dois acidentes relacionados à utilização do gás de cozinha vitimaram duas pessoas, uma no Rio de Janeiro, onde o acidente provocou, além da morte, um estrago material enorme em diversos apartamentos, e outro acidente em Vitória, no bairro Jardim Camburi.

A proximidade, proporção e consequência resultante dos dois eventos chamou a atenção de síndicos e administradores de condomínios. Mas de acordo com informações do Corpo de Bombeiros Militar do Espírito Santo, os acidentes foram pontuais e não há com o que se preocupar.

“O gás de cozinha é seguro, desde que sejam observados os requisitos de segurança e que sejam respeitadas as orientações fornecidas pelo Corpo de Bombeiros e empresas habilitadas e capacitadas a atuar com esse tipo de produto”, garante o chefe da seção de normas e cadastro do Corpo de Bombeiros do Espírito Santo, Capitão Sávio Almonfrei.

O Capitão Sávio orienta que os moradores busquem se certificar das qualidades técnicas das pessoas ou empresas que estão sendo contratadas para a execução dos serviços, e que nunca contratem pessoas ou empresas sem capacitação técnica adequada, para não colocarem em risco a sua própria segurança.

TESTES NOS CONDOMÍNIOS

De acordo com uma norma do Corpo de Bombeiros o fornecimento de gás nos prédios novos com número superior a 16 unidades devem possuir gás encanado, que é considerado mais seguro.

“Esse sistema possui uma rede de distribuição interna, que chega a todas as unidades. Mas ele também possui uma série de válvulas de bloqueio. Assim, ao detectarmos um vazamento ou até mesmo o princípio de um incêndio, é possível interromper a passagem de gás e evitar que o incêndio se alastre ou tome maiores proporções”, reforça o Capitão Sávio.

Outra vantagem é quanto ao material usado, que é muito mais seguro. Já os síndicos e administradores de condomínios devem ficar atentos à manutenção e observar a validade dos equipamentos de segurança, como mangueiras, válvulas borboletas e braçadeiras. Também é aconselhável realizar a cada três anos um teste de estanqueidade para avaliação de todo o sistema de gás, e fazer as devidas reparações caso seja necessário.

FIQUE ATENTO

* Através de uma empresa especializada, realize uma vistoria periódica das instalações de gás, prazo de validade dos medidores e dos reguladores e dos demais equipamentos de segurança: detectores de vazamento de gás nas áreas comuns, como corredores e escadas, além de hidrantes, spliters, extintores, mangueiras, etc.

* Mantenha o AVCB (Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros) em dia, principalmente para efeito de seguro, e realize periodicamente um teste de estanqueidade do sistema de gás do condomínio justamente prevenindo vazamentos e variações de pressão muito grande nas tubulações. Isso inclui as unidades condominiais.

SAIBA MAIS

Gás encanado

* Não usar botija se houver gás encanado; verificar o prazo de validade da mangueira e ficar atento ao cheiro de gás;

* Em caso de vazamento, feche o registro individual; abra portas e janelas; não acione interruptores; desligue a chave geral de energia se estiver fora da residência; afaste-se do local; e entre em contato com a distribuidora de gás e, em casos mais graves, com os Bombeiros.

Botijas

* Verifique se o equipamento está bem instalado; colocá-lo em local arejado e sempre na vertical.

* Em caso de vazamento, feche o registro; deixe o ar circular; desligue a chave geral de energia, se estiver fora da residência e leve a botija para fora do imóvel, se possível, sem usar elevador.

Acesse a Versão PDF InfoSIPCES Maio – Junho 2015

Facebook Comments
Voltar

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: