Dedetização. A hora é agora.

28 de abril de 2015

Pequenas formigas fazem uma trilha pela parede do apartamento, as baratinhas começam a surgir próximo ao salão de festas e algum condômino acredita ter visto um rato correndo pela garagem do condomínio. É claro que ninguém precisa esperar que todos esses exemplos aconteçam ao mesmo tempo para presumir que é chegada a hora de uma dedetização no condomínio.

Está chegando a hora de exterminar esses indesejáveis visitantes antes que a situação fuja um pouco do controle e traga transtornos maiores. As pragas mais comuns são os insetos rasteiros, como baratas, traças, aranhas e formigas, seguidos dos roedores e cupins, em que o caso mais comum é o cupim subterrâneo, aqueles que sobem do subsolo para a cobertura, através de prumadas, redes elétricas, hidráulicas, cabeamentos de TV e telefonia, por exemplo.

“A dedetização tem que ser vista como uma forma de prevenção. A facilidade e rapidez com que essas pragas se proliferam exigem atenção e o cuidado de especialistas e profissionais experientes e capacitados”, reforça o presidente do SIPCES, Cyro Bach Monteiro.

O que Cyro quer dizer é para que quem for efetivar a contratação exija documentos que comprovem a experiência da empresa e que ela esteja credenciada para a realização do trabalho. Entre os documentos que podem ser exigidos estão o alvará de funcionamento expedido pela Vigilância Sanitária, a certidão do responsável técnico com o devido registro no Conselho competente, referências e nomes de produtos e seus fabricantes.

A qualificação e treinamento dos funcionários e uma boa dose de responsabilidade ambiental por parte da empresa também são pontos importantes que podem ser avaliados na hora da contratação.

Os condomínios que não sofrem tanto com a invasão de pragas também devem realizar esse procedimento como forma de prevenção.

CONDOMÍNIO LIMPO

Manter o ambiente limpo é fundamental para que o resultado da dedetização seja amplamente satisfatório. Realizar o trabalho, mas manter dentro de uma residência um foco de proliferação pode comprometer todo o trabalho, ou fazer com que a próxima ação seja realizada antes
do prazo desejável.

Por isso procure orientar e negociar para que a dedetização seja feita também dentro das unidades condominiais, além de elaborar um plano eficiente de orientação a todos no prédio, para que possam manter suas unidades limpas, sem acúmulo de objetos sem utilidade e com o descarte e condicionamento correto do lixo.

SAIBA MAIS

O termo dedetização surgiu da substância Dicloro-Difenil-Tricloroetano – DDT, utilizada na 2ª Guerra Mundial para proteger os soldados contra insetos. Porém foi banida pelos órgãos de saúde devido ao elevado grau de toxidade e contaminação ambiental. Mesmo assim o nome passou a representar toda e qualquer substância para o controle de pragas e é por isso que hoje, embora seja vetado o uso do DDT no país, o termo dedetização é adotado. São usados os termos DESINSETIZAÇÃO para o controle químico de insetos como barata, cupins e formiga ou DESRATIZAÇÃO para o controle químico de ratos.

As pragas mais comuns em casas e apartamentos são as aranhas, formigas, baratas, traças, ratos e cupins.

Veja a edição completa do informativo: Versão PDF InfoSIPCES Março – Abril 2015

Facebook Comments
Voltar

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: