Infiltrações. Problemas maiores a vista.

16 de setembro de 2014

Diz o ditado que os principais problemas em um condomínio começam com a letra c (criança, cachorro, carro), mas um deles, às vezes até mais grave, tem outra letra: I, de infiltração. Isso porque dependendo do local do vazamento, ficará sempre a discussão: quem é o responsável? E aí a dor de cabeça pode estar só começando.

“Vazamento ou infiltração, quando não identificados logo no seu início, podem trazer prejuízos ao condomínio. Esses prejuízos podem ser no aumento do custo de água devido ao gasto causado ou até mesmo por provocar algum dano à estrutura do prédio”, alerta Cyro Bach Monteiro, presidente do SIPCES.

A procura por um profissional capacitado a localizar e eliminar o vazamento deve ser feito imediatamente à identificação de alguns sinais que o prédio apresenta: umidade na parede, manchas escuras no teto do banheiro e mofo são os principais indícios de que algo não vai muito bem.

Quando o vazamento ou infiltração ocorrer em uma área comum, o síndico deve ser imediatamente comunicado pelo morador para que tome as medidas necessárias para resolver o problema.

Mas quando o problema for originado no imóvel do vizinho? O que fazer? “O responsável é sempre o proprietário da unidade que deu origem a infiltração. Uma vez comprovada essa responsabilidade deve-se procurar o entendimento entre as partes. Caso não haja acordo e resolução do problema, acione a Justiça”, orienta o assessor jurídico do SIPCES, Dr. Roberto Merçon.

Merçon esclarece ainda que os prédios possuem a tubulação comum, de responsabilidade do condomínio, e a tubulação secundária, que atende a cada unidade do prédio e é de responsabilidade do proprietário do imóvel.

CULPA DO CONDOMÍNIO

Em alguns casos a responsabilidade é mesmo do condomínio. Uma delas é a infiltração originada de calhas em terraços de uso comum.

Outro exemplo é quando uma infiltração é proveniente da fachada do prédio, seja ela revestida ou não. Mas atenção, se esse tipo de infiltração ocorrer pela manutenção inadequada das esquadrias da janela, por exemplo, a responsabilidade será do condômino.

ATENÇÃO ESPECIAL ÀS GARAGENS

Dependendo de como é a garagem do seu condomínio, saiba que lá pode estar o principal ponto de infiltrações do seu prédio. São muitos os fatores que contribuem para isso nesse ambiente: pouca ventilação, presença de monóxido de carbono e muita umidade.

“A garagem é um dos pontos onde a atenção tem que ser ainda maior, pois são muitos os fatores nesse ambiente que podem provocar as infiltrações. Umidade, falha do projeto, especificação errada dos materiais utilizados e até mesmo o terreno, o solo onde está a construção contribuem para o surgimento desse problema”, afirma Radegaz Nasser Júnior, vice-presidente de Relações Institucionais do Instituto Brasileiro de Avaliações e Perícias de Engenharia (Ibape Nacional).

Veja edição completa do informativo: Versão PDF InfoSIPCES Julho – Agosto 2014

Facebook Comments
Voltar

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: