A hora e a vez da coleta seletiva

9 de setembro de 2014

Uma das formas de colaboração dos condomínios para que as cidades se tornem mais ativas ecologicamente é a adoção, cada vez mais comum, da coleta seletiva. E essa prática tem se mostrado cada vez mais eficiente, principalmente quando debatida e aplicada em conjunto com o Poder Público, através da separação, recolhimento e destinação adequada dos resíduos recicláveis e não recicláveis.

“Adotar a coleta seletiva requer certo planejamento e organização, mas o resultado conquistado é imensurável. É a certeza que estamos plantando um bem para nós mesmos, com uma melhoria de vida que refletirá não só nos condomínios, mas também em todo o bairro e até mesmo na cidade”, reforça Cyro Bach Monteiro, presidente do Sindicato Patronal de Condomínios (SIPCES).

E os condomínios agora tem uma importância ainda maior na destinação do lixo e na preservação do meio ambiente. Isso porque desde o início de agosto terminou o prazo para que os municípios acabem de uma vez com os lixões e deem a destinação ambiental correta ao que for descartado, em cumprimento à Política Nacional de Resíduos Sólidos.

Após recolhidos e separados os resíduos sólidos como papéis, papelão, plásticos, papel alumínio, latas, vidros e metais, deixam de ser depositados nos aterros sanitários, indo para um galpão adequado, onde serão separados, compactados e vendidos para as indústrias de reciclagem, transformando-se em matéria prima com valor comercial considerável.

Além do processo de coleta seletiva reduzir a quantidade de resíduos destinados ao aterro sanitário, também permite o reaproveitamento de alguns materiais. Em Vitória, por exemplo, a coleta seletiva é traduzida em geração de renda para as associações de catadores vinculadas à Prefeitura de Vitória.

“A coleta seletiva em Vitória é um trabalho crescente, em constante desenvolvimento e com metas bem traçadas. Estamos atuando na ampliação do espaço destinado às Associações de reciclagem que atuam com a Prefeitura de Vitória para que elas possam ter ainda mais trabalho e, consequentemente, maior renda”, afirma o secretário de Serviços de Vitória, Fernando Rocha.

Segundo Rocha em todo o ano de 2013 mais de 1.400 toneladas de lixo reciclado foi recolhido na capital do Estado. Em 2014, até o final de julho, já foram mais de 920 toneladas. “A meta é audaciosa, mas vamos trabalhar para atingi-la: passar porta a porta e diariamente. Esse é o objetivo. Atualmente são mais de 330 postos de coleta seletiva em condomínios e quase setenta postos de entrega voluntária espalhados pela cidade”, argumenta o secretário.

Os condomínios de Vitória que quiserem implantar a coleta seletiva podem ligar para o número 156 da prefeitura. Uma gerência especial criada pela secretaria de Serviços dará todas as orientações para a implantação da coleta.

VILA VELHA

No município canela verde a prefeitura realiza o projeto piloto de coleta seletiva em 81 condomínios da Praia da Costa, Itapuã e Itaparica. Os resíduos recicláveis são coletados pela PMVV em dia e horário pré-determinado e encaminhado a Associação Vilavelhense de Coletores de Materiais Recicláveis (Revive) que faz a triagem e venda dos materiais.

O condomínio que quiser implantar a coleta seletiva basta encaminhar um email para lixoseco@vilavelha.es.gov.br com as informações do condomínio: endereço, quantidade de moradores, dentre outros e agendar uma reunião.

Leia o complemento dessa matéria e acesse o informativo completo no link a seguir: Versão PDF InfoSIPCES Julho – Agosto 2014

Facebook Comments
Voltar

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: